sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Orgulho e Preconceito, de Jane Austen

" É uma verdade universalmente reconhecida que um homem solteiro, de posse de boa fortuna, deve estar atrás de uma esposa."  Essa frase já foi repetida tantas vezes no cinema, que realmente consagrou a esplêndida escritora, Jane Austen.

"Orgulho e Preconceito" é o meu livro e filme favoritos, de todo o coração e que povoa tão fortemente o imaginário das pessoas. Principalmente o meu!


A linda Keira Knigthey, como Elizabeth Bennet

Deveria ser uma leitura daquela sua seleta lista, nem que fosse para você compreender ou as pessoas compreenderem porque Jane Austen faz com que fiquemos apaixonados pelo casal Elizabeth e Mr. Darcy. Mas sem a intenção de obrigatoriedade e sim de ler uma história leve, com humor e com amor.

Orgulho e Preconceito não é seguir somente uma história de amor, que começa aos pouquinhos, mas também ter a oportunidade de viajar no tempo e ver como se vivia naqueles tempos.

Os costumes, modos, vestimentas e claro, o cavalheirismo eram assuntos e posturas de toda a sociedade. Os homens, os rapazes, deviam ler e aprender um pouco com o Mr. Darcy ... rs ... dar uma chance à obra.



Matthew Macfadyen como o lindo Mr. Darcy



Eu ví primeiro o filme, e depois que lí o livro, mas afirmo que os dois são dignos de sua atenção.
O filme (por ser visual) talvez mexa mais com as pessoas, porque tem um figurino lindo, cenários maravilhosos, ótimos atores e uma trilha sonora linda!




Sinopse da história:

A chegada do solteiro e rico Mr. Bingley á Netherfield, causa um grande alvoroço em toda a sociedade local. Sem dúvida uma das mais animadas é Mrs. Bennet, que está ansiosa pra ver casadas as suas cinco filhas, pois quando Mr. Bennet falecer elas não irão herdar nada. Em uma festa, Mr. Bingley é apresentado á comunidade, juntamente com seu amigo Mr. Darcy. Bingley é simpático e sociável, Darcy é o oposto.

Rapidamente Bingley se atrai por Jane, que é a senhorita Bennet mais velha, e a mais bonita. Elizabeth é a segunda mais velha, e também a mais inteligente e espirituosa.

Já nessa primeira festa, Elizabeth tem o seu orgulho ferido pelo insociável Mr. Darcy, que não aceita dançar com ela e, mais tarde, ainda diz para Bingley que ele dançava com a única moça verdadeiramente bonita do baile e que Elizabeth é apenas tolerável. Esta, por um mero acaso, acaba escutando isso e resolve odiar Darcy eternamente; mas não é bem isso que acaba acontecendo.



A história nos faz refletir e ver como nos enganamos julgando precipitadamente as pessoas.

Tanto o filme como o livro não é só uma história de amor e de mal entendidos, é também um retrato fiel de uma época e seus costumes e uma crítica ao preconceito. Além disso, é uma história envolvente, leve e muito bem humorada!


As 5 filhas e a Mrs. Bennet
Jane e Elizabeth Bennet



Mr. Darcy e Sr. Bingley
Jane e Bingley se conhecendo



















Fotos lindas das cenas que eu mais gosto:




























Fonte de pesquisas: sites garota de lugar nenhum, saraiva e garota it.

Um comentário:

  1. Giselia Consalter29 de junho de 2012 00:04

    Esses dias eu estava vendo uma versão longa desse filme, com detalhes que só tem no livro, é bem antigo, com atores diferentes, mas tem a mesma graça do atual. Amo Orgulho e Preconceito,aliás,amo todos os filmes de época!

    ResponderExcluir

Gostou do post? Me escreva no keribela@yahoo.com.br ou deixe seu comentário. Cadastre-se para receber as novidades, assim você não esquece do Blog! beijinhos, Keribela.